sexta-feira, 24 de março de 2017

ENCONTRO DE CIRCO E MALABARISMO COMEMORA DIA MUNDIAL DO TEATRO, NO DRAGÃO DO MAR


A CIA. PLURAL DE ARTES CÊNICAS em parceria com o CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA, vai comemorar o DIA MUNDIAL DO TEATRO e o DIA NACIONAL DO CIRCO (que acontecem no próximo dia 27 de março), com um ENCONTRO CEARENSE DE CIRCO E MALABARISMO.

Destinado a crianças, jovens e adultos e aberto a todos àqueles que praticam esta arte nas suas mais diversas modalidades e aos que admiram e/ou estão aprendendo, o ENCONTRO acontecerá no domingo, dia 26 de marços, das 17h às 20h, na Praça Verde do Dragão do Mar.

Para os que já praticam é uma excelente oportunidade de trocar informações, experiências e novos truques, além de demonstrarem suas habilidades e conhecerem outros artistas.

Aqueles que estão aprendendo podem assimilar novos truques com os INSTRUTORES que estão sempre à disposição para compartilharem técnicas e truques, com AULAS PRÁTICAS GRATUITAS.

Para aqueles que querem aprender e ainda não têm equipamentos, disponibilizamos para EMPRÉSTIMO GRATUITAMENTE, diversos malabares, para serem utilizados durante o evento.

Para os que admiram, é sempre um grande Show (gratuito), com direito a MALABARES DE FOGO (Os praticantes de piromalabarismo devem levar combustível para suas tochas).

MALABARES PARA VENDA:

Também temos diversos equipamentos para vendas, tais como: swings (poi), devil/flower stick, flags, pernas-de-pau, bolas, clavas, diabolôs, rolos-chineses, etc.

Clique AQUI para ver os preços.


Clique AQUI para saber sobre o DIA MUNDIAL DO TEATRO e o DIA NACIONAL DO CIRCO.

Clique AQUI para ver a MENSAGEM 2017 do INSTITUTO INTERNACIONAL DO TEATRO.

Clique AQUI para saber mais sobre o ENCONTRO CEARENSE DE CIRCO E MALABARISMO.

quinta-feira, 23 de março de 2017

DIA MUNDIAL DO TEATRO E DIA NACIONAL DO CIRCO - MENSAGEM 2017 - ITI - UNESCO - ONU

(Por Tonico Lacerda Cruz)

O DIA MUNDIAL DO TEATRO é comemorado em 27 de março, e uma das mais importantes manifestações por isto é a difusão da Mensagem Internacional, escrita tradicionalmente por uma personalidade de dimensão mundial, convidada  pelo Instituto Internacional do Teatro para partilhar as suas reflexões  sobre temas de Teatro e a Paz entre os povos. Esta mensagem é traduzida  em mais de vinte línguas e lida perante milhares de espectadores antes  do espetáculo da noite nos teatros do mundo inteiro.

A primeira mensagem foi  escrita por Jean Cocteau (França), em 1962; em 2009, pelo  dramaturgo brasileiro Augusto Boal (que veio a falecer logo a seguir, em  02-05-2009); em 2010 por Dame Judi Dench (Inglaterra); em 2011 pela africana Jessica Atwooki Kaahwa; em 2012 pelo norte americano  John Malkovich, em 2013 pelo italiano Dario Fo, em 2014, pelo sul-africano Brett Bailey, em 2015 pelo polonês Krzysztof Warlikowski. e, em 2016 pelo russo Anatoli Vassiliev.

O Instituto Internacional de Teatro, com sede na Suíça acabou de divulgar a mensagem de 2017, que foi escrita pelo atriz francesa de teatro e cinema Isabelle Huppert e traduzida para o português pelo diretor da CIA. PLURAL DE ARTES CÊNICAS (Ceará- Brasil) Tonico Lacerda Cruz.

Clique AQUI para saber mais sobre o DIA MUNDIAL DO TEATRO E O DIA NACIONAL DO CIRCO.

Clique AQUI para ver a MENSAGEM DE 2016.

Clique AQUI para ver a MENSAGEM DE 2015

Clique AQUI para ver a MENSAGEM de 2014

Clique AQUI para ver a MENSAGEM de 2013.

Clique AQUI para ver a MENSAGEM de 2012.

Clique AQUI para ver a MENSAGEM DE 2011.

Clique AQUI para ver as MENSAGENS DOS ANOS DE 2009 E 2010.

Clique AQUI para saber sobre o DIA MUNDIAL DO TEATRO PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE.

Breve biografia de Isabelle Huppert
(autora da mensagem do Dia Internacional do Teatro de 2017)

Isabelle Huppert estudou russo no Instituto Nacional de Línguas e Civilizações Orientais, enquanto fazia aulas de arte dramática na Escola de la rue Blanche e no Conservatório Nacional de Arte Dramática. Ela foi a aluna dos preeminentes professores Jean-Laurent Cochet e Antoine Vitez.

Ela recebeu atenção para suas primeiras aparições em filmes como Les Valseuses de Bertrand Blier, Aloise de Liliane de Kermadec e Le Juge et l'Assassin de Bertrand Tavernier. Por sua performance em La Lentellière por Claude Goretta, ela recebeu o Best Hope Award da Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA). 


Seus esforços colaborativos com Claude Chabrol permitiram-lhe realizar extraordinariamente através de um número de dramas de filme, tais como; Comédia (Rien ne va plus), drama (Une affaire de femmes), E filme noir (Merci pour le chocolat). Sua habilidade e compreensão profunda de agir também lhe permitiram dar vida a papéis em adaptações literárias (Madame Bovary) e ficções políticas (L'Ivresse du pouvoir). Ela recebeu vários prêmios por suas performances sob a direção de Claude Chabrol: o Prêmio de Interpretação no Festival de Cannes para Violette Nozière, o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema de Veneza por Une affaire de femmes e no Festival de Moscou para Madame Bovary , Além de receber o Prêmio Interpretativo eo César de Melhor Atriz em Veneza por sua participação em La Cérémonie.

Ela trabalhou com muitos diretores e artistas de destaque nacional como Jean-Luc Godard, André Téchiné, Maurice Pialat, Patrice Chéreau, Michael Haneke, Raoul Ruiz, Benoit Jacquot, Jacques Doillon, Christian Vincent, Laurence Ferreira Barbosa, Olivier Assayas, Francois Ozon / Anne Fontaine Ionesco, Joachim Lafosse, Serge Bozon / Catherine Breillat, Guillaume Nicloux e Samuel Benchetrit. Isabelle Huppert também trabalhou com grandes diretores internacionais, como Michael Cimino, Joseph Losey, Otto Preminger, os irmãos Taviani, Marco Ferreri, Hal Hartley, David O'Russell, Werner Schroeter e Andrzej Wajda - assim como Rithy Panh, Brillante Mendoza, Joachim Sort e Hong Sang Soo.


O Festival de Cinema de Veneza concedeu-lhe um Leão de Ouro Especial do Júri que reconheceu toda a sua carreira, bem como o seu desempenho em Gabriell Patrice Chéreau. Ela também recebeu duas vezes o prestigioso Prêmio Interpretativo no Festival de Cannes (a segunda vez para La Pianiste de Michael Hanake). Seu envolvimento em Cannes também a viu cumprir o papel de jurado e amante cerimonial, e para a 62 ª edição do festival, ela foi presidente do júri.

Além do cinema, Isabelle Huppert teve uma carreira marcante no teatro, tanto na França como internacionalmente. Ela toca sob a direção de Bob Wilson (Orlando de Virginia Woolf / Quartett de Heiner Muller), Peter Zadek, Claude Régy (4.48 Psychosis de Sarah Kane, Jeanne au bucher de Claudel). Também interpreta Médée d'Euripide dirigido por Jacques Lassalle, nomeadamente no Festival d'Avignon; Hedda Gabler de Henrik Ibsen, dirigido por Eric Lacascade, e A Tramway baseado no trabalho de Tennessee Williams, dirigido por Krzysztof Warlikowski no Théâtre de l'Odéon, Que passou a ter um sucesso europeu e World Tour. Outros trabalhos notáveis ​​incluem as empregadas domésticas por Jean Genet, dirigido por Benedict Andrews, em que apareceu ao lado de Cate Blanchett na companhia de teatro de Sydney e no centro de cidade de New York como parte do festival do centro de Lincoln; Les Fausses Condidences de Marivaux, dirigido por Luc Bondy, no Théâtre de l'Odéon, que novamente teve uma bem sucedida turnê européia. Nesta temporada, ela realizou Phaedra (s) de Wajdi Mouawad, Sarah Kane e JM Coetzee, dirigido por Krzysztof Warlikowski, em uma turnê européia e internacional.

No cinema, vários de seus filmes foram lançados recentemente, L'avenir de Mia Hansen Love, Tout de suite maintenant de Pascal Bonitzer e Elle de Paul Verhoeven (apresentado no Festival de Cinema de Cannes de 2016), Souvenir de Bavo Devurne. Em 2017, seu quarto filme com Michaël Haneke, Happy End, será lançado, junto com um projeto dirigido por Serge Bozon chamado Madame Hyde. Ela recentemente recebeu vários prêmios nos Estados Unidos, incluindo o Gotham Award eo Globo de Ouro para a Elle, um papel que a levou a ser nomeado para o Oscar Melhor Atriz.

Isabelle Huppert é Oficial da Ordem Nacional da Legião de Honra, Oficial da Ordem Nacional do Mérito e Comandante da Ordem das Artes e das Letras.


Leia a seguir a íntegra da mensagem:

(Traduzido para o português por TONICO LACERDA CRUZ, Diretor Teatral da CIA. PLURAL DE ARTES CÊNICAS - Ceara - Brasil)


"Então, aqui estamos, mais uma vez, reunidos na Primavera, 55 anos desde a nossa reunião inaugural, para celebrar o Dia Mundial do Teatro. Apenas um dia - 24 horas, é dedicado a celebrar o teatro em todo o mundo. E aqui estamos em Paris, a principal cidade do mundo para atrair grupos teatrais internacionais, para venerar a arte do teatro.

Paris é uma cidade do mundo, apta a conter as tradições de teatro universal em um dia de festa. A partir daqui na capital francesa, podemos nos transportar para o Japão, experimentando os teatros Nô e Bunraku; podemos traçar uma linha daqui para pensamentos e expressões tão diversas como a Ópera de Pequim e Kathakali. O palco nos permite ficar entre a Grécia e a Escandinávia, quando nos envolvemos em Ésquilo e Ibsen, Sófocles e Strindberg. Ele nos permite alternar entre a Grã-Bretanha e a Itália como reverberar entre Sarah Kane e Pirandello. Dentro destas vinte e quatro horas podemos ser levados da França para a Rússia, de Racine e Molière para Chekhov; podemos até mesmo atravessar o Atlântico como um parafuso de inspiração para servir em um Campus na Califórnia, seduzindo um jovem aluno de lá para reinventar e fazer seu nome no teatro. Na verdade, o teatro tem uma vida tão próspera que desafia o espaço e o tempo. Suas peças mais contemporâneas são nutridas pelas realizações dos séculos passados ​​e até mesmo os repertórios mais clássicos se tornam modernos e vitais cada vez que são reproduzidos de novo.

O teatro sempre renasce de suas cinzas, apenas transformando as suas convenções anteriores em novas formas de olhares: é assim que ele permanece vivo. Logo, o Dia Mundial do Teatro não é, obviamente, nenhum dia comum como todos os outros. Ela nos dá acesso a um imenso espaço-tempo contínuo através da pura realeza do cânone global. Para conceituar isso, permita-me citar um dramaturgo francês, tão brilhante quanto discreto, Jean Tardieu: Ao pensar no espaço, Tardieu diz que é sensato perguntar "qual é o caminho mais longo de um lugar para outro? "... Por tempo, ele sugere medir, "em décimos de segundo, o tempo que leva para pronunciar a palavra 'eternidade' "... Por espaço-tempo, no entanto, ele diz:" antes de adormecer, fixe sua mente em dois pontos do espaço, e calcule o tempo que leva, em um sonho, ir de um para o outro ". É o termo "em um sonho" que sempre ficou comigo. Parece que Tardieu e Bob Wilson se conheceram. Podemos também resumir a singularidade temporal do Dia Mundial do Teatro, citando as palavras de Samuel Beckett, que faz com que o personagem Winnie diga, em seu estilo: "Oh, que dia bonito ele terá sido". 

Ao pensar nessa mensagem, que me sinto honrada por ter sido convidada a escrever, lembrei-me de todos os sonhos de todas essas cenas. Como tal, é justo dizer que eu não vim a esta sala da UNESCO sozinha; cada personagem que eu já interpretei está aqui comigo, papéis que são criados quando a cortina cai, mas que têm esculpido uma vida subterrânea dentro de mim, esperando para ajudar ou destruir os papéis que se seguem; Phaedra, Araminte, Orlando, Hedda Gabbler, Medea, Merteuil, Blanche DuBois ... Complementando-me, como estou diante de vocês hoje, são todos os personagens que eu amava e foram aplaudidos como expectadores. E assim é, portanto, Que eu pertenço ao mundo. Eu sou gregoa africana, síria, veneziana, russa, brasileira, persa, romana, japonesa, uma novayorquina, uma Marselhesa, filipina, argentina, norueguesa, coreana, alemã, austríaca, inglesa - uma verdadeira cidadã do mundo, pela virtude do conjunto pessoal que existe dentro de mim. Pois é aqui, no palco e no teatro, que encontramos a verdadeira globalização.

No Dia Mundial do Teatro de 1964, Laurence Olivier anunciou que, depois de mais de um século de luta, um Teatro Nacional acabou de ser criado no Reino Unido, que ele imediatamente quis transformar em um teatro internacional, pelo menos em termos de seu repertório . Ele sabia muito bem que Shakespeare pertencia ao mundo. Ao pesquisar a redação desta mensagem, Fiquei feliz em saber que a mensagem inaugural do Dia Mundial do Teatro de 1962 foi confiada a Jean Cocteau, um candidato apropriado devido à sua autoria do livro "A volta ao mundo em 80 dias". Isso me fez perceber que eu tenho ido ao redor do mundo de forma diferente. Eu fiz isso em 80 shows ou 80 filmes. Eu incluo filmes nisto como eu não diferenciar entre fazer teatro e fazer filmes, o que me surpreende cada vez que eu digo, mas é verdade, é assim que é, não vejo diferença entre os dois.

Falando aqui não sou eu, não sou uma atriz, sou apenas uma das muitas pessoas que o teatro usa como um canal para existir, e é meu dever ser receptiva a isso - ou, em outras palavras, fazer teatro existir, é antes agradecer ao teatro pela nossa existências. O teatro é muito forte. Resiste e sobrevive a tudo, guerras, censura, penúria. Basta dizer que "o palco é uma cena nua de um tempo indeterminado" - tudo o que precisa é de um ator ou uma atriz. O que eles vão fazer? O que eles vão dizer? Eles vão falar? O público espera, ele saberá, pois sem o público não há teatro - nunca se esqueça disso. Uma pessoa sozinha é uma audiência. Mas vamos esperar que não haja muitos assentos vazios! As produções de Ionesco estão sempre cheias, e ele representa este valor artístico de forma franca e linda por ter, ao final de uma de suas peças, uma senhora de idade dizer, "Sim, sim, morrer em plena glória. Vamos morrer para entrar na lenda ... pelo menos teremos nossa rua ... "

O Dia Mundial do Teatro existe há 55 anos. Em 55 anos, eu sou a oitava mulher a ser convidada a pronunciar uma mensagem - se você pode chamar isso de uma "mensagem". Meus predecessores (oh, como o macho da espécie se impõe!) falaram sobre o teatro da imaginação, da liberdade e da originalidade para evocar a beleza, o multiculturalismo e fazer perguntas incontestáveis. Em 2013, há apenas quatro anos, Dario Fo disse: "A única solução para a crise reside na esperança da grande caça às bruxas contra nós, especialmente contra os jovens que querem aprender a arte do teatro: assim, uma nova geração de  atores surgirá, que, indubitavelmente, extrairá deste constrangimento benefícios inimagináveis ​​ao encontrar uma nova representação ". Benefícios inimagináveis ​​- soa como uma fórmula agradável, digna de ser incluída em qualquer retórica política, você não acha? ... Como estou em Paris, pouco antes de uma eleição presidencial, gostaria de sugerir que aqueles que, aparentemente, anseiam governar-nos devem estar cientes dos benefícios inimagináveis ​​trazidos pelo teatro. Mas eu também gostaria de pedir nenhuma caça às bruxas!

O teatro para mim representa o outro, é o diálogo, e é a ausência de ódio. "Amizade entre os povos" - agora não sei muito bem o que isso significa, mas acredito na comunidade, na amizade entre espectadores e atores, na união duradoura entre todos os povos que o teatro proporciona - tradutores, educadores, figurinistas, artistas de palco, acadêmicos, profissionais e públicos. O teatro nos protege; ele nos abriga... Eu acredito que o teatro nos ama... tanto quanto nós o amamos...

Eu me lembro de um diretor mais tradicional de palco para o qual eu trabalhei, que, antes da abertura da cortina gritar, com firmeza: "Abram caminho para o teatro!" - e estas serão minhas últimas palavras esta noite”

Isabelle Huppert 

terça-feira, 21 de março de 2017

CURSO DE TEATRO E CIRCO - 2017 - COLÉGIO OLIVEIRA LIMA

A CIA.PLURAL DE ARTES CÊNICAS mantém um CURSO LIVRE DE ARTES CÊNICAS (Teatro - Circo - Mímica)  em parceria com alguns colégios de Fortaleza, entre eles, o  COLÉGIO OLIVEIRA LIMA, que utiliza o MÉTODO PSICOGENÉTICO desenvolvido pelo Prof. LAURO DE OLIVEIRA LIMA

Este método consiste na tradução para a prática escolar das concepções do desenvolvimento humano decorrente das pesquisas de JEAN PIAGET

Inicialmente, em 2011, apenas demos continuidade ao projeto de ensino de circo. Em 2012 iniciamos o CURSO LIVRE DE ARTES CÊNICAS, com ensino de teatro, circo e mímica, para os alunos do tempo integral.

O artista e professor plural Tonico Lacerda Cruz é o responsável pela condução dos trabalhos no colégio.

São quatro turmas: bebês I (1 a 3 anos), bebês II (4 a 6 anos), infantil I (7 a 9 anos) e infanto-juvenil (10 anos em diante), cujas aulas inciaram-se em fevereiro de 2017.

Especificamente, no Colégio Oliveira Lima, ministramos também "vivências" nascidas no teatro e no circo, com bebês a partir de 1 ano. Os resultados são espetaculares! (Veja as fotos a seguir).

É importante ressaltar a nossa preocupação constante com a SEGURANÇA. Por isso, cada ação, cada gesto, cada salto foi cuidadosamente estudado, experimentado e é acompanhado pessoalmente pelos professores, com equipamentos de segurança adequados.

Clique AQUI para ver FOTOS DAS AULAS EM 2017.

Clique AQUI para saber mais sobre o nosso trabalho de VIVÊNCIAS DE CIRCO PARA BEBÊS (até 5 anos).

Clique AQUI para ver os VOTOS DE CONGRATULAÇÕES recebidos da ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO CEARÁ, pelo trabalho desenvolvido.


Clique AQUI para ver nossas ATIVIDADES EM 2013 no colégio.

Veja slides das aulas de 2016 no colégio:


Clique na imagem abaixo para acesso às fotos:
CURSO DE TEATRO E CIRCO PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES 2016 - COLÉGIO OLIVEIRA LIMA
Veja slides das aulas de 2015 no colégio:

Clique na imagem abaixo para acesso às fotos:
CURSO DE TEATRO E CIRCO - 2015 - COLÉGIO OLIVEIRA LIMA

Veja slides das aulas de 2014, ministradas no colégio:



Clique na imagem abaixo para acesso às fotos:

CURSO LIVRE DE ARTES CÊNICAS (TEATRO, CIRCO E MÍMICA) – 2014 – COLÉGIO OLIVEIRA LIMA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...